20.4.17

Resenha | Sussurros do País das Maravilhas - A. G. Howard

Título:  Sussurros do País das Maravilhas
Título Original: Untamed
Coleção: Splintered  #1.5;  #3.5 |  Autor(a): A. G. Howard
Gênero: Literatura Estrangeira - Fantasia, YA
Páginas: 272 | Editora: Novo Conceito
Comprar: Compare e Compre
Avaliação:
Sinopse: Alyssa Gardner entrou na toca do coelho para assumir o controle do seu destino. Ela sobreviveu à batalha pelo País das Maravilhas e pelo seu coração. No conto O Menino Na Teia, a mãe de Alyssa relembra o período em que viveu no País das Maravilhas e resgatou o homem que se tornaria seu marido e pai de sua filha. No A Mariposa No Espelho, conhecemos as lembranças de Morfeu, de quando ele mergulhou nas memórias de Jeb para descobrir os segredos dele e tentar ganhar, de uma vez por todas, o disputado coração de Alyssa. No Seis Coisas Impossíveis, Alyssa revive os momentos mais preciosos de sua vida após Qualquer outro lugar, e sobre o papel mágico que desempenhou para preservar a felicidade daqueles que ela ama. Neste livro você encontrará três contos de lembranças inéditas e inesquecíveis. Junte-se novamente aos personagens da série O Lado Mais Sombrio e embarque no fantástico mundo do País das Maravilhas.
Resenha

No ano passado li a trilogia Splintered, composta por O Lado Mais Sombrio, Atrás do Espelho e Qualquer outro lugar, e fui completamente absorvida para dentro da história da tataraneta de Alice. Então, pouco tempo depois do lançamento de Sussurros do País das Maravilhas, corri para lê-lo, embora a resenha esteja saindo só hoje. Haha

Mas se é trilogia, e esse livro ai, hem? Então... Sussurros do País das Maravilhas trata-se de um spin-off de Slintered, que traz três contos – mágicos e inesquecível – para matar um pouco da nossa saudade. São eles: O Menino na Teia, A Mariposa no Espelho e Seis Coisas Impossíveis.

Vamos conhecê-los:

O Menino na Teia 

Quem leu a série, provavelmente, pelo título, já tem uma ideia do que se trata... Sabendo dos arrependimentos que Alisson ainda guarda no peito, Thomas decide que está na hora de ela visitar o passado, no Trem da Memória, para entender melhor tudo que aconteceu e poder, finalmente, se perdoar. 

Quando tinha dezesseis anos, Alisson, mãe da protagonista da série, se deparou com uma toca no País das Maravilhas onde a Irmã Dois, uma aranha gigante, usava crianças para extrair seus sonhos, para manter o equilíbrio do reino interior. E Thomas era uma dessas crianças.
Resultado de imagem para png alice no pais das maravilhas drink me
“Já é hora de se perdoar. Já é hora de você perceber o impacto positivo que teve sobre todos nós o fato de você deixar Morfeu e o País das Maravilhas entrarem na sua vida...”
Até então era só isso que sabíamos, que Alisson tinha renegado tudo, a coroa e o País das Maravilhas, e salvado Thomas, mas chegou a hora de obtermos mais respostas a cerca de como foi que isso aconteceu. E, como brinde, ainda descobrimos como foi que o País das Maravilhas começou a entrar na vida de Alisson, inclusive como foram os primeiros contatos com Morfeu etc.
“— Não importa se sou louca, desde que minha loucura me ajude a sobreviver.”
Nesse conto, além de o leitor conhecer mais sobre a história do casal, pais de Alyssa, visitaremos também a infância de Alisson, batendo de cara com as dificuldades pela qual ela passou. 
“Quando nasci, ela saltou do segundo andar do hospital para testar as “asas de fada” que as vozes diziam que ela tinha. Ela caiu num arbusto de rosas e quebrou o pescoço.”
Gostei bastante do conto, está encantador; o amor que transborda dos pais da protagonista é encantador. Para quem tem curiosidade se saber como foi que Alisson salvou Thomas e como a vida dos dois ganhou cor depois disso, vale a pena a leitura. 

A Mariposa no Espelho

Li esse conto após ler O Lado Mais Sombrio,  mas não foi nenhum problema relê-lo, apesar de ser o que menos gosto entre os três.
Imagem relacionada

“Havia apenas seis meses que ela partira do País das Maravilhas, e ele não compreendia este vazio corrosivo que só poderia ser preenchido pelo toque dela, por seu perfume, sua voz. [...] Sua afeição e lealdade pertenciam ao agreste País das Maravilhas e a nada nem a ninguém mais.
Então o que ela havia feito para mudar isso?
Ultimamente, cada vez que ele via o próprio reflexo, não mais reconhecia a Mariposa no espelho. Estava incompleto, enfraquecido; e menosprezava isso.”
Assim como no primeiro conto, o Trem da Memória recebera outro visitante...

Nesse conto Morfeu irá embarcar nas memórias de Jebediah, buscando entender os motivos pelos quais Alyssa escolheu ele, um mero mortal, para amar, para, então, poder conquistá-la. Essas memórias se passaram durante O Lado Mais Sombrio, mas nós leitores não acompanhamos. Mas temos essa chance em A Mariposa no Espelho.

O fato de o conto girar em torno das memórias de Jeb provavelmente foi o culpado por eu não ter amado esse conto tanto quanto os outros, talvez, se fossem as memórias de Morfeu... Depois que Morfeu surgiu, Jeb perdeu o brilho para mim. Enquanto Jeb vive buscando proteger Alyssa, Morfeu mostra para ela a vida, as maravilhas, ensinando ela a se arriscar, às vezes, e a viver de verdade. 

Porém, para os leitores amantes do Jeb, essa será uma leitura e tanto.

Seis Coisas Impossíveis.

ÀS VEZES PENSO EM SEIS COISAS IMPOSSÍVEIS ANTES DO CAFÉ DA MANHÃ. 
Lewis Carroll, Alice no País das Maravilhas
Esse mexeu com meu emocional fortemente!
“— Demorou um bocado para chegarmos aqui.[...]
— Obrigada por sua inabalável paciência.”
Sabemos que, no livro anterior, Alyssa escolheu viver uma vida na terra com Jeb, mas quando ele se fosse, ela iria para as asas da nossa mariposa, Morfeu, no País das Maravilhas.
“Dou as costas para o reino humano, encarando a toca do coelho a meus pés.
— Alyssa, meu amor. Salte.
Desta vez, não há dúvida quanto a quem está falando em minha mente. É a voz da minha Amada Mariposa.”
No fim de Qualquer outro Lugar acompanhamos o salto dela na toca do coelho em encontro a Morfeu, mas não passou disso. Já nesse conto, o leitor tem um pouco mais para se deliciar. Um pouco mais do antes e um pouco mais do depois, a partir desse ponto. Da sua vida com Jeb e a família que eles formaram à formação da sua família no País das maravilhas. Os pontos mais marcantes da história. 
“— Boas coisas acontecem aos que esperam. [...]
— As melhores coisas. Coisas impossíveis. A mais impossível de todas é uma criatura solitária, que nunca precisou de outra alma viva, ter uma família pela qual morreria e mataria.”
Eu estava tão ansiosa para ler esse conto, que quando vi que ele tinha chegado, passei a ler com ainda mais carinho cada palavra. O conto é de tirar o fôlego e ao mesmo tempo delicado e emocionante, principalmente para quem, como eu, é apaixonado pela série e pelos personagens.

Morfeu e Alyssa é um casal pelo qual torci desde o primeiro segundo, e “vê-los” finalmente juntos foi fantástico. Essa leitura veio com uma mistura de nostalgia, tristeza por ser o fim, mas imensaaa satisfação pela forma que concluiu. 

Creio que até a narrativa desse conto está melhor, talvez por ter mais da peculiaridade do País das Maravilhas – e de Morfeu. 

Ah, lembram-se das visões do futuro que diziam do filho-sonho, fruto do amor Rei e Rainha do País das maravilhas, Morfeu e Alyssa, destinado a inspirar a imaginação das criaturas do reino e manter um equilíbrio eterno ao País das Maravilhas.

Eu temia que o conto não chegasse até a chegada dele, mas, para minha eterna gratidão a A. G. Howard, ele veio. E foi mágico, assim como tudo.
“— Eu o amo, Morfeu. Obrigada por me mostrar tudo o que posso ser. [...]
— Eu a amo. Mas este é só o começo. Ainda veremos tudo o que pode acontecer.” 

O conto também conta com um pouco da infância de Morfeu e Alyssa. Quando ele levava ela até leva nos seus sonhos. 

Mágica. Provavelmente é a melhor descrição para a série. A autora provou, com Splintered, que uma releitura pode ser original, e que, mesmo quando tem tudo para ser clichê, ela pode acabar sendo surpreendente e emocionante.

17 comentários:

  1. Oie! Ainda não li esta série e a sua resenha me ajudou a entender a dinâmica dos livros. Vou guardar a dica para o futuro - preciso diminuir a pilha que me aguarda aqui em casa antes. Obrigada pela ajuda! Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Espero que um dia tenha o prazer de experimentar e que goste! ❤

      Excluir
  2. Não conhecia a série, mas parece uma releitura bem interessante e detalhista, apesar de ser com personagens diferentes e após os acontecimentos de Alice... Fiquei bastante curiosa!

    Bjos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É riquissima em detalhes, magia, maravilhas... ❤

      Excluir
  3. Olá
    Eu tenho apenas o primeiro livro dessa série que ainda não li, mas pretendo começar a mesma ainda esse ano. Acho todas as capas bem lindas. Esse livro era um dos livros mais esperados que eu já vi kkk, li muitas cobranças nas redes sociais da editora e parece que fez efeito. Adorei a resenha e até mais ver
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desencalha ele! ❤❤ Vale a pena.
      Amooooo essas capas, são minhas preferidas. Que bom que fez efeito. haha

      Excluir
  4. Oi Catrine!
    Eu amei tambem esse livro. Ele me fez viver uma nostalgia bem grande com esses personagens que amei conhecer. Embora não seja fã do triangulo amoroso, eu consegui me cativar muito por eles depois de ouvir um pouco sobre o passado e futuro deles. Tão fofo <3
    Pra mim, o conto da mãe da Alyssa é o melhor. Queria mais da Alisson e do David.

    Abraços
    David
    http://territoriogeeknerd.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amamoooos! ❤
      Deu uma nostalgia, uma saudade grande... Confesso que também me senti mais encantada com os personagens. Digo isso pois, após o terceiro conto e ver o passado e futuro deles, me apeguei mais ao Jeb, que até então eu não gostava tanto. ❤
      Está lindo o conto dos dois!

      Excluir
  5. Oiii lindinha, tudo bem?
    Infelizmente dessa vez a obra não despertou meu interesse, eu só queria por causa das capas que acho tão lindas kkkkkkkkkkkkk mas né, ótima resenha e gostei dos quotes.
    Abraços

    ResponderExcluir
  6. Olá Catrine,
    Já li o primeiro livro dessa série e o conto A Mariposa e o Espelho. Confesso que, antes de ler o conto, eu odiava o Morfeu, depois acho que aprendi a amá-lo.
    Adorei ler sobre suas impressões desse livro e fico contente que ele tenha te agradado.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então, vamos agradecer à esse conto!!! ❤ hahah
      Que bom que gostou! :)

      Excluir
  7. Oie, tudo bem!? Eu não li nenhum dos livros, apesar de uma amiga me garantir que são ótimos! Acontece que é Novo Conceito né, e como ela adora começar e não terminar as coisas eu fiquei esperando sair o último... Que já saiu e eu continuo esperando um tempo para poder lê-los.
    Mas já voltou para a lista de prioridade.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí! haha Merecem prioridade, sim. São maravilhosos!!! ❤ Espero que tenha a oportunidade de lê-los em breve e que amee.

      Excluir
  8. Catrine, essa capa está incrível, aliás toda a série tem capas maravilhosas. Eu ainda não li nenhum dos livros, mas já vi ótimas resenhas sobre eles, acho que algumas aqui no blog mesmo. Eu adoraria ler e espero em breve ter a oportunidade, afinal o enredo já me prendeu completamente. Muito legal para os fãs esse livro com os contos, afinal coisas boas nunca são demais. Adorei a resenha.

    *☆* Atraentemente *☆*

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. São lindas demais!!!
      Espero que tenha a oportunidade de os lerem, Evandro. E espero aind amais que, assim como eu, goste de todos. :)
      Obrigada!
      Beijos!

      Excluir
  9. Como eu fico agora, depois de ler essa sua resenha, com esse desespero que me deu para ler toda a trilogia e esse livro extra, hein? rsrsrs

    Gosto bastante quando um autor traz conteúdo extra sobre seus personagens, para matarmos as saudades e sabermos um pouco mais sobre pontos da história.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita, espero que tenha gostado!
Opiniões, sugestões, críticas... fiquem a vontade.❤❤

Estante Mineira Todos os direitos reservados